Afinal, o que são os Lactobacillus casei Shirota?

on Quinta, 04 Agosto 2022.

 Afinal, o que são os Lactobacillus casei Shirota?

É bem provável que você já saiba que o Yakult é o único Leite Fermentado que contém Lactobacillus casei Shirota. Os comerciais da marca - e o próprio produto, claro - fazem parte da nossa vida.

Afinal de contas, que espécie de seres microscópicos são esses e como eles agem no nosso organismo? 

Minoru Shirota foi um microbiologista japonês. No início do século passado, focou sua trajetória científica no estudo da microbiota intestinal.

Mas, antes de prosseguirmos, o que quer dizer microbiota intestinal?

O termo é usado para descrever o conjunto formado por trilhões de microrganismos que habitam nossos intestinos. São bactérias, fungos e outros tipos de seres microscópicos que influenciam múltiplos aspectos do funcionamento do nosso corpo: peso, apetite, imunidade e também o nosso estado de humor.

É no intestino que se encontram cerca de 70% das nossas células de defesa e 90% da serotonina, conhecida como o hormônio da felicidade. 

A microbiota intestinal é objeto de estudo frequente por parte da comunidade científica, que progressivamente identifica novas conexões entre a saúde intestinal, a atividade cerebral e, consequentemente, a nossa saúde mental. 

Voltando ao Dr. Shirota, em 1930, através dos seus estudos com essas cepas intestinais, ele identificou um tipo de bacilo - assim são chamadas as bactérias com formato cilíndrico ou em forma de bastão. Em homenagem ao microbiologista nipônico, o bacilo recebeu o nome de Lactobacillus casei Shirota.

Ele observou que esse microrganismo específico consegue atravessar a acidez estomacal e chegar vivo e em elevada quantidade aos intestinos.

Ao desembarcar no órgão, produz o ácido lático - daí o prefixo lacto - que , como dito,  dificulta o crescimento das bactérias ruins, auxilia o aumento da quantidade das bactérias boas e, consequentemente, realiza o equilíbrio da microbiota intestinal. 

É importante ressaltar que existem diversos outros tipos de lactobacilos, que costumam ser matéria-prima na fabricação de iogurtes, coalhadas e queijos. Porém, o Lactobacillus casei Shirota é exclusivo da Yakult.

Outra descoberta realizada pelo Dr. Shirota foi a permanência temporária desses seres no nosso corpo, isto é, nosso organismo o elimina após a digestão.

Com o objetivo de suprir seus pacientes com a “bactéria do bem”, o pesquisador criou o Leite Fermentado, que foi a base do que hoje temos em 40 países e regiões ao redor do globo. 

Por isso é tão importante o consumo diário dos Leites Fermentados Yakult. 

Ou seja, para manter a microbiota em equilíbrio, diariamente, com uma grande proporção de probiótico, impactando em todo o bom funcionamento do organismo.

Aliás, você já tomou seu Leite Fermentado Yakult hoje? 

Gostou de saber mais a respeito desse assunto? Confira outras curiosidades e informações sobre saúde e alimentação clicando aqui.


Acompanhe também o nosso Instagram para receber outros conteúdos exclusivos!

Você sabe explicar o que é a azia?

on Quinta, 12 Mai 2022.

Você sabe explicar o que é a azia?

Pode ser que você já tenha sentido azia. Afinal, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), pelo menos 20 milhões dos adultos brasileiros alegam sofrer desse quadro, dado que corresponde a 15% da população do país com idade a partir dos 20 anos.

Embora seja uma sensação “familiar”, a azia pode ser difícil de explicar ou definir. Principalmente porque suas causas são difusas e, muitas vezes, ela está associada a outras condições de saúde.

Primeiramente, vamos definir o que é a azia: ela é um sintoma ocasionado, na maior parte dos casos, pelo retorno do conteúdo ácido do estômago para o esôfago.

Suas duas características mais comuns são a queimação desse trajeto- entre estômago e esôfago - e o gosto ácido na boca. A depender da intensidade da azia, é possível que a pessoa também sinta estufamento abdominal, dores na região/no peito, arrotos frequentes e até mesmo tosse.

Uma das principais condições associadas à azia é o refluxo, doença digestiva causada pela disfunção da musculatura e/ou dos esfíncteres do trato gástrico, o que provoca o tal retorno do conteúdo estomacal. Pela longa ou constante exposição à acidez, a área pode inflamar em diferentes graus de intensidade.

Porém, nem todo episódio de azia é um sinal de refluxo. Em grande parte dos casos, o sintoma é pontual e reflete algum desequilíbrio ou excesso na alimentação.

Alimentos muito condimentados, gordurosos, ultraprocessados, refrigerantes, frutas cítricas/ácidas, molhos (como de tomate, ketchup, mostarda), pimenta, bebidas alcoólicas e café são alguns dos “maiores causadores” da azia.

Outras situações também podem provocá-la, como:

● Fumo
● Gravidez
● Ingerir grandes quantidades de alimentos de uma só vez
● Não mastigar adequadamente os alimentos
● Deitar-se imediatamente após as refeições
● Estresse e ansiedade
● Alguns medicamentos de uso oral

Além disso, outras doenças ou disfunções do trato gastrointestinal também podem ter a azia como um de seus sintomas, a exemplo da gastrite e do câncer de estômago. Por isso, episódios frequentes de azia devem ser sempre assistidos pelo médico especialista.

Para evitar a azia, devemos incorporar ao nosso dia a dia uma alimentação balanceada e que vá contra as causas listadas acima. O médico tambémpode receitar remédios paliativos, utilizados no surgimento da azia - porém, as medidas para evitá-la devem ser seguidas em paralelo.

Por ajudarem no equilíbrio da microbiota gastrointestinal, os leites fermentados Yakult, os únicos que contêm o probiótico Lactobacillus casei Shirota, também contribuem para a prevenção e combate da azia e de outros desconfortos na região.

Inclua Yakult em sua rotina diária!

Gostou de saber mais a respeito desse assunto? Confira outras curiosidades e informações sobre saúde e alimentação clicando aqui.

Acompanhe também o nosso Instagram para receber outros conteúdos exclusivos!

Rinite alérgica: o que é e como combatê-la

Rinite alérgica: o que é e como combatê-la

Rinite alérgica: o que é e como combatê-la

Coceira no nariz, olhos lacrimejantes e espirros constantes: quem sofre de rinite alérgica conhece muito bem estes sintomas.

A doença, que pode acometer pessoas de todas as idades, é caracterizada pela inflamação da mucosa nasal - ou seja, o “revestimento” do trato respiratório - o que ocasiona, além das condições já citadas, a sensação de “nariz entupido”, pruridos e secreções, dores e incômodos na garganta e até mesmo a obstrução (ou sensação desta) dos ouvidos.

A inflamação da mucosa, por sua vez, ocorre pela reação a diversos alérgenos, sendo alguns dos mais comuns o pólen, a poeira, a fumaça e os pelos de animais. Em alguns casos, também pode ser causada pela bactéria Staphylococcus aureus, um microrganismo oportunista que pode ser encontrado na pele e na cavidade nasal de algumas pessoas.

Estima-se que entre 10 a 25% da população mundial sofra de rinite alérgica, podendo esta ser sazonal, ocorrendo em momentos específicos, ou perene, com constância durante todo o ano.

Apesar de ser entendida como uma doença “menos grave”, os sintomas da rinite alérgica podem comprometer a qualidade de vida do paciente, associando-se ainda a outras alergias ou condições de saúde, sobretudo as respiratórias, como a asma e a sinusite.

Além de proteger-se contra a exposição a possíveis alérgenos presentes no dia a dia, a pessoa com rinite alérgica precisa manter limpos e arejados os ambientes em que circula, investindo, sempre que possível, em materiais antialérgicos (sobretudo químicos e tecidos). 

Sabemos também que alguns alimentos contribuem para o fortalecimento das vias respiratórias, do sistema imune e com a prevenção, de uma forma geral, contra a rinite alérgica, como:

  • Grãos, sementes e castanhas: ricos em flavonoides, atuam com efeito anti-inflamatório no organismo.

  • Peixes: o ômega-3, nutriente presente nestas fontes de proteína, protegem as vias aéreas e ajudam no combate a inflamações.

  • Frutas cítricas: ricas em vitamina C, auxiliam no fortalecimento do sistema imune.
  • Alho e cebola: contêm propriedades que combatem infecções por bactérias, vírus e fungos.

  • Mel: um dos alimentos mais utilizados em condições respiratórias, possui ação bactericida, anti-inflamatória e fungicida, contribuindo também com a expectoração de secreções.

O Leite Fermentado Yakult, o único que contém o Lactobacillus casei Shirota, é também um importante aliado para as pessoas com rinite alérgica. Além dos benefícios à microbiota intestinal, o probiótico ajuda a combater a bactéria Staphylococcus aureus, associada a alguns casos da doença.

Confira, no vídeo a seguir, a pesquisa científica que explica a importância do consumo do Leite Fermentado Yakult:

https://www.youtube.com/watch?v=8JJ5oDSaHq4&t=4s&ab_channel=YakultBrasil"Efeito do Lactobacillus casei Shirota na rinite alérgica

Vale lembrar que os sintomas da rinite alérgica, bem como suas causas, podem variar de acordo com cada caso. Por isso, além das medidas preventivas, é fundamental que o paciente procure auxílio e orientação médica para seguir o tratamento mais eficaz!

Quer mais dicas de saúde e bem-estar? Leia outras notícias em nosso blog clicando aqui.

A relação entre qualidade de vida e saúde intestinal

on Quarta, 26 Janeiro 2022.

A relação entre qualidade de vida e saúde intestinal

A relação entre qualidade de vida e saúde intestinal

Você já ouviu falar que o intestino humano é o nosso “segundo cérebro”? Pois, acredite, essa afirmação está correta!

Apesar de evidentemente menos complexo que o cérebro, os intestinos têm seu próprio sistema nervoso, chamado de sistema nervoso entérico (SNE), o qual possui mais de 500 milhões de neurônios.

É justamente nos intestinos que se concentra a maior quantidade de serotonina do nosso organismo. Esta, por sua vez, é a substância responsável pela sensação de prazer e bem-estar tão importante para a nossa saúde, sobretudo a mental.

Devido a tamanha importância, o mau funcionamento intestinal pode trazer problemas e/ou consequências físicas e emocionais. As mais comuns são:

  • Inchaço
  • Queimação
  • Náusea
  • Diarreia
  • Digestão inadequada 
  • Alterações no peso
  • Alergias alimentares
  • Lesões na pele
  • Cansaço
  • Dificuldade de concentração
  • Alterações de humor

Lento ou acelerado, o funcionamento anormal dos intestinos pode alterar a qualidade de vida em curto, médio e longo prazo. A depender da gravidade de cada situação, problemas ainda maiores podem ocorrer decorrentes de diarréias ou constipações frequentes.

Por isso, faz parte de uma vida saudável uma alimentação focada na saúde intestinal. Nesse sentido, há três fatores essenciais:

  • Consumir “comida de verdade”: inclua obrigatoriamente em sua alimentação opções de verduras, frutas, legumes, cereais e proteínas de qualidade. Invista em alimentos ricos em fibras, que facilitam a formação das fezes e a evacuação.
  • Evitar os ultraprocessados: industrializados, alimentos com alto teor de sódio e/ou açúcar, ricos em gorduras e passíveis a alergias devem ser consumidos com muita moderação.
  • Beber água: isso é elementar, mas podemos acabar nos esquecendo, não é mesmo? Sem hidratação, o intestino tende a ficar muito mais lento.

Além disso, vale lembrar que a prática regular de atividades físicas, não fumar e ter o sono regulado são hábitos que trazem benefícios a todo o organismo - incluindo, e com muito destaque, os intestinos!

Você também pode incluir os leites fermentados Yakult em sua rotina alimentar, uma vez que eles contam com o exclusivo probiótico Lactobacillus casei Shirota. Estes microrganismos chegam vivos à flora intestinal e dificultam o crescimento das bactérias ruins, a aumentar a quantidade das bactérias boas e, dessa forma, a equilibrar a microbiota da região. 

Como o Lactobacillus casei Shirota permanece de forma transitória nos intestinos, recomenda-se o consumo de uma unidade dos leites fermentados Yakult por dia.

Caso você esteja com algum (ou alguns) dos sintomas listados acima e o seu intestino não funciona na regularidade necessária, é provável que estes problemas estejam relacionados. Adote as recomendações acima e procure um médico especializado na saúde intestinal para entender melhor o seu caso.

Não negligencie o segundo cérebro: evacuar regularmente pode transformar o seu bem-estar!

Quer mais dicas? Leia outras notícias em nosso blog clicando aqui.

Você já ouviu falar em biodisponibilidade de alimentos?

Você já ouviu falar em biodisponibilidade de alimentos?

Você já ouviu falar em biodisponibilidade de alimentos?

“Biodisponibilidade” é um termo que pode até soar complexo, mas significa algo que muitos de nós já fazemos no dia a dia: a combinação de alimentos!

Ou melhor, a combinação de alimentos que potencializam nutrientes e/ou facilitam/aumentam a absorção destes.

Sozinhos, os alimentos saudáveis têm inúmeras propriedades essenciais ao nosso organismo, certo? Mas estes benefícios podem ser ainda maiores quando, em diversos casos, são consumidos em conjunto ou ao mesmo tempo.

É por este e tantos outros motivos que uma alimentação variada, rica em legumes, verduras e fontes saudáveis de proteínas, fibras e carboidratos, é essencial para nutrir - de fato - o organismo.

Refeições “coloridas” e equilibradas garantem que os nutrientes interajam entre si e tragam os benefícios desejados a todo o nosso corpo.

Confira algumas das “parcerias de sucesso” entre alimentos que consumimos no dia a dia:

  • Couve + limão: o ferro da couve é melhor absorvido quando há o consumo simultâneo da vitamina C, presente no limão. O resultado dessa combinação é uma salada deliciosa, azedinha e nutritiva!
  • Tomate + abacate: sim, a receita do guacamole! As gorduras boas do abacate ajudam a transportar até o intestino uma substância, presente no tomate, chamada licopeno. O licopeno, por sua vez, ajuda a combater os radicais livres que provocam o envelhecimento.
  • Morango + aveia: aqui, a grande estrela é a vitamina D, que se torna muito mais fácil de ser absorvida pelo organismo nesta combinação. Este nutriente é muito importante para a absorção do cálcio, ajudando a proteger e fortalecer toda a estrutura óssea. 
  • Vegetais folhosos + azeite: quem é que não aprecia uma saladinha com azeite de oliva, não é mesmo? Essa combinação é muito importante para que as vitaminas solúveis em gorduras, contidas nas folhas, sejam absorvidas pelo organismo!

Agora que você já sabe o que é biodisponibilidade, conte para nós: qual dessas combinações é a sua favorita?

Quer mais dicas? Leia outras notícias em nosso blog clicando aqui.

 

Mais frutas na alimentação, mais saúde

Mais frutas na alimentação, mais saúde

Mais frutas na alimentação, mais saúde

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), todo adulto saudável deve consumir de três a cinco porções de frutas ao dia, buscando sempre variar as opções consumidas. Você sabe por quê?

Além de deliciosas, as frutas trazem variados nutrientes ao nosso organismo, muitos deles obtidos exclusivamente nelas.

As frutas cítricas, por exemplo, são ricas em vitamina C, nutriente essencial para o nosso sistema imunológico. Já as frutas vermelhas são ótimas para a saúde da pele, das unhas e dos cabelos. As frutas mais gordurosas e oleaginosas, por sua vez, são grandes aliadas do sistema nervoso.

Ou seja, todas as frutas são verdadeiros concentrados nutritivos que a natureza nos deu para saciar a fome e nutrir o corpo.

Mas, se você precisa de um “incentivo a mais” para seguir as recomendações da OMS, incluindo mais frutas à sua rotina, é muito bom lembrarmos que o consumo de frutas também otimiza o funcionamento do intestino, fazendo com que a evacuação seja mais fácil e saudável. Nesse sentido, mamão, ameixa, laranja e abacate são excelentes opções.

É interessante lembrarmos também que as frutas são acessíveis, principalmente se comparadas a outros alimentos e quando buscamos adquirir as variedades da época.

As frutas também são práticas, em sua maioria. Banana, maçã e goiaba, por exemplo, são lanches rápidos e muito gostosos para adultos e crianças.

Por último, mas não menos importante, as frutas também “aliviam” aquela vontade de doce que muitos de nós temos, sobretudo após o almoço. Só não podemos exagerar porque, afinal, tudo em exagero pode ser prejudicial, ok? Lembre-se sempre do que recomenda a OMS!

Para finalizar, deixamos uma pergunta: quais frutas você vai comer hoje?

O que a suas idas ao banheiro dizem sobre sua saúde

O que a suas idas ao banheiro dizem sobre sua saúde

A saúde intestinal é, por muitas, negligenciada devido à vergonha que temos em debater este assunto. Infelizmente, esse tabu pode nos fazer deixar de lado alguns detalhes muito importantes para avaliar a saúde de todo o organismo.

Isso porque a frequência que vamos ao banheiro, as dificuldades que podemos vir a ter e as condições das fezes são sinais de outros problemas de saúde ou situações pelas quais estamos passando.

Primeiramente, precisamos entender que a defecação não deve ser pouco, nem muito frequente; tampouco muito ressecada ou dura, nem muito líquida, inconsistente. 

Em qualquer um dos casos acima, se recorrente, é preciso passar por avaliação médica para verificar as condições da sua flora intestinal, já que esta parece não estar operando de forma regular. Mas, fique tranquilo: na maioria dos casos, estas são situações simples de serem controladas por meio da alimentação.

Quando o intestino não está funcionando normal ou adequadamente, a absorção dos nutrientes fica comprometida, o que traz prejuízos a todo o organismo. 

Além disso, problemas como diarreias frequentes ou constipação intestinal também podem estar associados a outras condições de saúde, como infecções, por exemplo, que precisam ser tratadas.

Outro ponto essencial para analisarmos, como dissemos anteriormente, é o aspecto de nossas fezes. Não sinta vergonha da sua própria fisiologia: monitorar suas excreções é uma tarefa simples que pode te ajudar a ter mais qualidade de vida!

A Escala de Bristol, uma ferramenta de total comprovação médica, é uma das principais formas de se fazer esta verificação. Veja como ela estabelece, por tipos, as condições das fezes humanas:

  • Tipo 1: boletas duras como nozes, que saem após muito esforço, podem indicar intestino preso por falta de água e fibras na alimentação.
  • Tipo 2: alongado e irregular, como caroços, pode ser o início de uma constipação e a hidratação deve melhorar.
  • Tipo 3: comprido e com rachaduras no exterior, é praticamente saudável.
  • Tipo 4:  forma de salsicha ou cobra e desliza fácil ao sair, indica que tudo está perfeito.
  • Tipo 5:  mole e irregular, não é exatamente ruim, mas é bom que não persista por muitas evacuações.
  • Tipo 6: mole, com algumas partes líquidas, pode ser o início de uma diarreia ou indica uma dieta muito gordurosa.
  • Tipo 7: totalmente líquido indica que a alimentação está bagunçada. É preciso hidratar-se e, caso persista, exige orientação médica.

Não é tão difícil assim analisar algo que só nos traz benefícios, certo? Então esqueça a vergonha, deixe o tabu de lado e faça este exercício por você!

Alimente-se para um ciclo menstrual tranquilo

Alimente-se para um ciclo menstrual tranquilo

Cuidar da alimentação é um dos passos mais importantes para que os dias da menstruação sejam mais tranquilos, principalmente se você sofre com alguns problemas decorrentes do ciclo, como intestino preso ou muito solto, cólicas e cansaço.

Nestes dias, é preciso que a mulher reforce a sua alimentação com alguns nutrientes específicos, sobretudo o ferro, as vitaminas do complexo B, a vitamina C e as fibras. 

Com a menstruação, o organismo “perde” ferro, o que pode acarretar ou acentuar a sensação de fadiga e “preguiça” nesses dias. O feijão, a castanha de caju, o espinafre e o brócolis são excelentes fontes de ferro - e não devem ser consumidos só durante o ciclo menstrual, é claro!

Já as vitaminas do complexo B, de uma forma geral, aliviam os inchaços e a retenção de líquidos, auxiliando até mesmo na sensação de bom humor e bem-estar. Procure, então, incluir peixes, abacate e vegetais verdes, como a couve, em sua dieta.

A vitamina C, por sua vez, é um dos nutrientes mais importantes para o fortalecimento de nosso sistema imunológico, garantindo também mais disposição nos dias em que mais precisamos. 

Como você já sabe, a vitamina C se encontra nas frutas cítricas, mas também na goiaba, no mamão, na manga e em tantos outros vegetais.

Por último, mas não menos importante, precisamos lembrar das fibras alimentares. Elas, que são essenciais ao funcionamento ideal do intestino - seja para torná-lo mais ou menos lento, principalmente nestes dias - também ajudam a estabilizar os níveis de açúcar no sangue, reduzindo aquele “desejo insaciável” por doces que pode ocorrer durante o ciclo menstrual.

Para que a menstruação traga a sensação de “limpeza” do organismo, sem estresses e desconfortos, conte com os alimentos aliados da saúde feminina. Você também pode experimentar incluir Hiline-F em sua rotina, a bebida da Yakult desenvolvida especialmente para as mulheres, que dispõe de vitaminas e minerais que repõem os nutrientes perdidos na menstruação e auxiliam ao longo destes dias.

Para saber mais sobre Hiline-F, clique aqui.

Conheça os 4 verbos da alimentação saudável

Conheça os 4 verbos da alimentação saudável

A alimentação saudável não é uma fórmula pronta. Temos, felizmente, uma ampla variedade de alimentos à nossa disposição para suprir tanto o apetite, quanto as necessidades nutricionais, o que nos permite variar o cardápio de todos os dias de forma quase infinita!

Se por um lado isso deixa a alimentação mais rica e saborosa, as tantas possibilidades podem nos “confundir” um pouquinho na hora de tomar decisões alimentares. Quem nunca optou pelo “mais fácil” numa refeição porque estava com preguiça de se planejar, não é mesmo?

Ter flexibilidade em nossas escolhas também faz parte de uma vida mais leve, é claro. Porém, é importante ter em mente que quão mais saudáveis forem as nossas refeições, maiores são os benefícios para o nosso organismo em curto, médio e longo prazo.

Uma grande dica para começar a ter hábitos de alimentação mais equilibrados é a regrinha dos 4 verbos: evitar, limitar, moderar e preferir. Veja como funciona:

EVITAR

O primeiro verbo desse macete diz respeito aos alimentos que devemos evitar ao máximo na rotina, consumindo apenas em exceções ou ocasiões especiais.

Nesta categoria, considere os alimentos ultraprocessados, ricos em gorduras (sobretudo a trans e a saturada) e com muitos conservantes e corantes artificiais. 

Sabe aqueles alimentos que contém inúmeros ingredientes que você nem sequer sabe o que significam? Estes você pode evitar!

LIMITAR

Em segundo lugar vêm os alimentos processados, embutidos e ricos em carboidratos, como pães, queijos e bolos.

Você não tem que eliminar coisas gostosas, que você gosta de comer, de sua dieta. Mas, sim, limitar as porções diárias delas! 

Nesse sentido, é interessante procurar um profissional de nutrição para estipular a sua porção ideal de acordo com peso, altura e demais necessidades.

MODERAR

As demais gorduras, açúcares e o próprio sal devem ser consumidos com moderação. 

Alimentos como o azeite e a manteiga, por exemplo, podem estar presentes em mais de uma refeição ao longo do dia, mas devem ser utilizados em pequenas (ou mínimas) quantidades.

PREFERIR

Este é o último verbo, mas o mais importante de todos! 

Em todas as ocasiões, dê sempre preferência ao que for natural, fresquinho e nutritivo: frutas, grãos, cereais, sementes, verduras, legumes. 

Esta deve ser a base da alimentação de qualquer pessoa, de qualquer idade, pois além de não trazer malefícios ao corpo, os alimentos naturais são repletos de nutrientes essenciais ao desenvolvimento e manutenção do organismo.

LEMBRE-SE:

Como dissemos anteriormente, é muito interessante que você consulte um nutricionista para entender melhor como funciona o seu corpo e as suas demandas. 

Esta regrinha dos 4 verbos te ajuda no dia a dia, mas é com auxílio profissional que você obtém um plano alimentar otimizado.

Flora intestinal

Afinal, o que é e como funciona a flora intestinal?

Flora intestinal

Frequentemente ouvimos dizer que um alimento é benéfico à saúde, pois colabora com a "flora intestinal". Mas o que isso significa na prática? Você sabe?

Primeiramente, precisamos entender o que é a flora intestinal.  

Chamada cientificamente de microbiota intestinal, a flora é a população de bactérias que habitam naturalmente o nosso intestino. Esses microrganismos são essenciais para o bom funcionamento do sistema imunológico e da digestão dos alimentos que, vale lembrar, não ocorre apenas no estômago.

Conservantes alimentícios

O que você precisa saber sobre conservantes

Conservantes alimentícios

Antes de conversarmos sobre os conservantes alimentícios, vamos entender dois conceitos muito importantes para a nossa alimentação: os processados e os aditivos.

Os processados são alimentos manipulados e transformados pela indústria para facilitar ou possibilitar o seu consumo. Ficou difícil de entender? Exemplificando fica bem mais fácil: frutas, legumes e ovos são alimentos in natura, sem processamento. Já biscoitos, iogurtes e chocolates são exemplos de processados.

Sucesso do Yakult 40 light

O produto caiu no gosto do consumidor que se preocupa em reduzir o teor de calorias da alimentação diária

Sucesso do Yakult 40 light

Preocupada em atender a parcela da população que deseja consumir alimentos com probióticos com menor consumo de calorias, a Yakult do Brasil lançou, em julho de 2016, o leite fermentado Yakult 40 light. Com apenas 30 calorias, o produto teve excelente aceitação e, desde o lançamento, passou a fazer parte da dieta de boa parcela dos consumidores, especialmente aqueles que procuram ter uma vida saudável por meio da alimentação e da prática de atividade física.

Leite fermentado beneficia idosos

Funções fisiológicas, orgânicas, imunocompetência e deglutição declinam em idosos e resultam em vários problemas de saúde, especialmente em casas de repouso.

Leite fermentado beneficia idosos

Constipação e diarreia reduzem a qualidade de vida desses indivíduos e requerem grande esforço dos funcionários dos estabelecimentos que prestam suporte. Os idosos também são altamente susceptíveis a infecções, com doenças infecciosas sendo intratáveis e propensas a aumentar a severidade. Além disso, infecções por Staphylococcus aureus resistente à meticilina podem espalhar dentro do estabelecimento através do contato dos funcionários e transmissores da doença. Assim, é importante que os funcionários evitem tornarem-se transmissores de bactérias patógenas para controlar infecções nosocomiais. 

 

Yakult no Ganepão 2017

Multinacional participou com estande e trouxe pesquisadora do Instituto Central, que apresentou resultados de estudos científicos

Yakult no Ganepão 2017

Estudos com o Lactobacillus casei Shirota (LcS), selecionado e cultivado com sucesso pelo fundador da Yakult, o cientista Minoru Shirota, em 1930, têm sido cada vez mais intensificados gra- ças aos avanços no desenvolvimento de métodos que permitem identificar a variedade de espécies que compõem a microbiota intestinal humana. A maioria desses estudos é desenvolvida no Instituto Central Yakult, localizado em Kunitachi, Tóquio, que possui laboratórios com equipamentos de última geração, a exemplo do Yakult Intestinal Flora Scan (YIF-SCAN®), desenvolvido para análise quantitativa da microbiota intestinal.

 

Intolerâncias merecem mais atenção

Consumo de leite pode causar desconfortos e, em alguns casos, sérios problemas à saúde

Intolerâncias merecem mais atenção

Distensão abdominal, flatulências ou diarreia alternada com episódios de constipação intestinal são alguns dos sintomas de quem convive com a intolerância alimentar. A condição é caracterizada pela manifestação de sintomas digestivos que são atribuídos aos alimentos pelos pacientes, ou pela ação nociva de certos componentes da dieta à integridade do revestimento do intestino ou ao seu funcionamento.

 

[12  >>  

Área Restrita

Conheça nossos Produtos

  • produto01
  • produto02
  • produto03
  • produto04
  • suco novo
  • morango
  • produto11
  • 2019 LF Sofyl Baunilha